O Instituto de Segurança Pública (ISP), autarquia vinculada ao governo do estado do Rio de Janeiro, anunciou hoje (9) a criação de um grupo de trabalho com o objetivo acompanhar os casos de violência contra a mulher, elaborar estudos e subsidiar o poder executivo estadual com dados sobre esse tipo de crime.

O grupo também ficará encarregado de abrir editais para apoio de pesquisas sobre o tema, além de organizar debates e eventos.

O Núcleo de Estudos ISP Mulher, como foi chamado, será composto só por servidoras. O trabalho poderá ajudar ainda pesquisadores de outras instituições. Informações reunidas que não forem sigilosas poderão ser solicitadas por autores de estudos diversos sobre a violência contra a mulher.

Criado em 1999, o instituto atua no desenvolvimento de metodologias de análise de dados relativos à segurança pública. Sua missão é produzir informações e disseminar pesquisas e análises que sirvam de referência para a elaboração de políticas públicas. A autarquia divulga, por exemplo, boletins mensais com estatísticas sobre homicídios dolosos e roubo de carga no estado.

Há 15 anos, a autarquia publica anualmente o Dossiê Mulher, que reúne estatísticas e análises. “O estado do Rio de Janeiro possui um vasto, sedimentado e transparente banco de dados com informações decorrentes das delegacias estaduais, o que permite que o ISP realize análises em diferentes aspectos, contribuindo de forma significativa para o estabelecimento de políticas públicas de enfrentamento à violência de gênero”, diz a autarquia.



EBC

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *