Rádio MEC celebra Dia da Música Clássica com repertório especial


Principal rádio de música de concerto no Brasil, a Rádio MEC vai celebrar o Dia Nacional da Música Clássica em grande estilo, nesta sexta-feira (5). Ao longo de 24 horas, sem interrupções, a emissora leva ao ar composições da música erudita brasileira, além de entrevistas e bate-papos com especialistas no tema.

A data, dia 5 de março, remonta ao nascimento do compositor, maestro e multi-instrumentista Heitor Villa-Lobos (1887-1959), célebre por seu legado na música erudita, música folclórica e música popular urbana do Brasil.

Atrações especiais

Uma apresentação exclusiva da Orquestra Sinfônica da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), sob regência do maestro André Cardoso, abriu a programação à meia-noite de quinta para sexta, no programa Plateia. O espetáculo, gravado na Sala Cecília Meireles, Rio de Janeiro, traz Suíte Antiga (Alberto Nepomuceno), Abertura Quarta (Ernani Aguiar), Sinfonia número 1 (Heitor Villa-Lobos) e Concerto para Violão (Heitor Villa-Lobos), este com a participação de Paulo Pedrassoli no violão solo.

Em seguida, às 2h, a emissora resgatou momentos emblemáticos do seu acervo, com programas que marcaram época. A faixa Acervo Rádio MEC trouxe séries como Música e Músicos do Brasil, Sala de Concerto e Ciclo Nelson Freire.

Às 6h, o especial Áurea Música apresentou obras dos principais compositores do período colonial, entre eles Lobo de Mesquita (1746-1805), Marcos Portugal (1762-1830) e padre José Maurício Nunes Garcia (1767-1830), considerado um dos maiores compositores das Américas em seu tempo.

O Manhã MEC FM, às 8h, trouxe um especial dedicado aos compositores do Romantismo Brasileiro. O programa reuniu trabalhos de Alexandre Levy (1864-1892), Henrique Oswald (1852-1931) e Francisco Braga (1868-1945), eternizado na história do Brasil como o autor do Hino à Bandeira, ao lado do poeta Olavo Bilac.

Ao meio-dia, o Concerto MEC apresenta a primeira de duas partes de um especial sobre vida e obra de Heitor Villa-Lobos. O programa traça um panorama sobre as origens do maestro – nascido em Laranjeiras, zona sul do Rio de Janeiro – e relata como foi sua iniciação na música, aos 13 anos, como violoncelista em teatros, cafés e bailes.

Às 13h, Clássicos do Ouvinte reapresenta as músicas brasileiras de concerto mais pedidas pelo público.

Às 17h, vai ao ar a primeira edição de 2021 do programa Sala de Concerto, com a apresentação ao vivo do Duo Barrenechea que executa peças icônicas de Heitor Villa-Lobos, com arranjos próprios, direto dos estúdios da Rádio MEC.

Formado pelo casal Sérgio Barrenechea (flauta) e Lúcia Barrenechea (piano), o Duo – conhecido por seu talento na interpretação de autores brasileiros, como Francisco Mignone, Radamés Gnattali e Ernesto Nazareth – inclui no repertório inclui obras como Pequena Suíte, Romance, Opus 71, Capricho, Opus 49, Berceuse, entre outros números.

Em 2013, o Duo lançou o DVD Presença de Villa-Lobos na Música Brasileira para Violoncelo e Piano, no qual interpreta Villa-Lobos em locais emblemáticos do Rio, como a Confeitaria Colombo, o Jardim Botânico e o Forte de Copacabana.

O Antena MEC, que a emissora transmite às 18h, traz uma conversa com alguns dos principais dirigentes de orquestras e salas de concerto do país. O programa, que conta com a participação do maestro Claudio Cohen, regente da Orquestra Sinfônica do Teatro Nacional, traça um panorama da música de concerto do Brasil de hoje.

Às 20h, o Harmonia apresenta a segunda e última parte do especial sobre Villa-Lobos. O programa analisa a vida pessoal e profissional do maestro durante a Era Vargas, a publicação das mundialmente célebres Bachianas Brasileiras, entre 1930 e 1945, e sua atuação como compositor ao longo do Estado Novo.

Em seguida, às 21h, a obra de Heitor Villa-Lobos recebe um arranjo original em formato de jazz, no programa Jazz Livre. O grupo Villa-Lobos in Jazz – especializado na releitura de Villa-Lobos em linguagem jazzística – interpreta Boi Barroso, Se Essa Rua Fosse Minha, O Trenzinho do Caipira, Bachiana nº4, Bachiana nº5, Sapo Jururu, Cantilena, Prenda Minha, Caicó, Escravos de Jó, Mulher Rendeira, entre outras peças instrumentais.

O quarteto é formado por Otávio Garcia (bateria), Pedro Aune (contrabaixo), Fernando Corona (teclado) e Felipe Poli (guitarra e violão).

Para encerrar a sequência de celebrações, o Memória Rádio MEC das 22h preparou uma coletânea com os melhores momentos dos principais programas da rádio relacionados à obra do inesquecível maestro Heitor Villa-Lobos e de outros compositores brasileiros de música de concerto.

Além do sinal via antena, a programação especial da emissora pública fica disponível no site http://mecfm.ebc.com.br e pelo aplicativo Rádios EBC, para dispositivos móveis.

O maestro

Um dos ícones da Semana de Arte Moderna, em 1922, Villa-Lobos passou boa parte dos anos 1920 em países da Europa, aprimorando seu conhecimento musical. Ao retornar, em 1930, percorreu o interior do Brasil, onde teve contato com o rico universo musical brasileiro.

Despido de preconceitos musicais, Villa-Lobos explorou o formato musical que mais tarde ficaria conhecido como “choro”, ritmos regionais de várias partes do país, além de ter desenvolvido peças eruditas e populares que abordaram o folclore brasileiro, incluindo as cantigas infantis.

Considerado ainda em vida o maior compositor das Américas, Heitor Villa-Lobos escreveu cerca de mil obras e projetou a música brasileira no cenário mundial da música de concerto de todas as épocas.

Dia Nacional da Música Clássica

A celebração da música clássica ocorre no Brasil desde 2006, impulsionada por uma campanha lançada na época pela revista VivaMusica!. Uma votação na internet apontou o compositor brasileiro, cujo aniversário seria o motivo de celebração da data. Os candidatos eram Carlos Gomes, Padre José Maurício Nunes Garcia e Heitor Villa-Lobos, que acabou por ser o escolhido pelo público.

A rádio de música clássica do Brasil

Criada em 1983 a partir da Rádio MEC AM Rio de Janeiro 800 kHz, a MEC FM 99,3MHz é uma rádio de música de concerto e jazz. A emissora – que hoje integra o sistema público de rádio gerido pela Empresa Brasil de Comunicação – dedica 80% de sua grade à transmissão de música erudita e leva ao ar grandes compositores brasileiros e internacionais de todos os tempos, além das faixas especiais reservadas ao jazz, à música instrumental e à música popular brasileira.

Programação especial da Rádio MEC para o Dia Nacional da Música Clássica:

0h – Plateia – Orquestra Sinfônica da UFRJ na Sala Cecília Meireles (madrugada de quinta para sexta)
2h – Acervo Rádio MEC – Seleção de séries históricas da emissora
6h – Áurea Música – Seleção com o melhor da Música Colonial Brasileira
8h – Manhã MEC FM – Seleção de compositores brasileiros do período romântico
12h – Concerto MEC – A vida e a obra de Villa-Lobos, parte 1
13h – Clássicos do Ouvinte – Músicas brasileiras de concerto mais pedidas pelo público
17h – Sala de Concerto – concerto ao vivo de piano e flauta com o Duo Barrenechea
18h – Antena MEC – Debate sobre a atual música de concerto no Brasil
20h – Harmonia – A vida e a obra de Villa-Lobos, parte 2
21h – Jazz Livre – Villa-Lobos in Jazz faz releitura jazzística de temas do compositor
22h – Memória Rádio MEC – Seleção de programas com momentos marcantes da música brasileira de concerto

Serviço:

Dia Nacional da Música Clássica

Sexta-feira, 5 de março

Rádio MEC FM Rio de Janeiro (99,3MHz)

Rádio MEC AM Rio de Janeiro (800 kHz)

Rádio MEC AM Brasília (800kHz)

Aplicativo: Rádios EBC, para dispositivos móveis

Streaming: http://mecfm.ebc.com.br

Facebook: facebook.com/radiomec

Instagram: instagram.com/radiomec

Twitter: twitter.com/mecfm





EBC

Related Posts

Next Post